Pela primeira vez na história humana, o número de pessoas obesas em todo o mundo excede o número daquelas com peso insuficiente. Recentemente, estimou-se que entre 62 e 76% da população mundial atingiu níveis de gordura corporal prejudiciais à saúde. Esta pandemia foi descrita pelo termo genérico overfat, que classifica as pessoas com excesso de peso que não são necessariamente obesas, apesar do uso comum do índice de massa corporal (IMC) como classificador clínico. Esse quadro pode implicar em alterações cardiometabólicas, que comprometem a qualidade de vida e aumentam os riscos para desenvolvimento de doenças crônicas, cada vez mais prevalentes entre a população. Muitos mecanismos fisiológicos encontram-se desequilibrados na obesidade, sendo a maioria relacionados aos hábitos de vida inadequados. As enzimas digestivas, principalmente amilase e lipase, podem desempenhar papel influenciador no controle de peso, revelando-se como um fator oculto da obesidade. O consumo excessivo de carboidratos e lipídeos está relacionado diretamente ao ganho…

Faça o login para ver o restante deste conteúdo!

Ou cadastre-se para ter acesso a este conteúdo e a notícias científicas direcionadas ao profissional da saúde com os temas mais relevantes, informações sobre nutrição magistral e novas ferramentas para a prática clínica. É grátis!

Já sou Cadastrado Quero me cadastrar