Os danos causados pela exposição inadequada à radiação ultravioleta são cumulativos e podem acarretar alterações na pele, desde fotoenvelhecimento até câncer, sendo um fator que merece atenção também nos meses de inverno. Nos dias mais frios, a pele sofre mudanças em relação à produção de sebo, teor de melanina e hidratação, reduzindo-se potencialmente sua proteção. É preciso ressaltar a grande importância de se utilizar protetores solares diariamente para evitar os efeitos indesejáveis da exposição da pele aos raios UV, que estão presentes até mesmo em dias nublados e na estação do ano mais fria. A maioria das moléculas presentes na pele podem absorver a radiação UV e sofrer alterações químicas. Esse tipo de radiação pode ativar componentes do sistema imune cutâneo, gerando resposta inflamatória por distintos mecanismos, na seguinte ordem: Ativação de queratinócitos e outras células. Liberação de mediadores inflamatórios. Redistribuição e liberação de autoantígenos. Fotoenvelhecimento pelo excesso de radicais…

Faça o login para ver o restante deste conteúdo!

Ou cadastre-se para ter acesso a este conteúdo e a notícias científicas direcionadas ao profissional da saúde com os temas mais relevantes, informações sobre nutrição magistral e novas ferramentas para a prática clínica. É grátis!

Já sou Cadastrado Quero me cadastrar