A influência do meio ambiente sobre a pele humana vem sendo cada vez mais elucidada por estudos científicos, principalmente em associação com os efeitos da poluição atmosférica. Esses efeitos podem provocar uma série de alterações estruturais no tecido capaz de acelerar o envelhecimento cutâneo, além de desencadear doenças inflamatórias e até mesmo câncer. Ainda que a radiação ultravioleta seja considerada a principal causa dessas alterações, a poluição do ar tem sido reconhecida por contribuir para a ocorrência de doenças de pele. A concentração de poluentes no ar aumenta em até 80% durante o inverno, em locais com grandes indústrias e circulação maior de veículos, segundo a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental – Cetesb. Os poluentes encontrados em maior quantidade no ar englobam substâncias que podem produzir consequências na saúde em geral. Dentre eles, destacam-se o monóxido de carbono, hidrocarbonetos, materiais particulados, óxidos de enxofre, entre outros. A maioria destes…

Faça o login para ver o restante deste conteúdo!

Ou cadastre-se para ter acesso a este conteúdo e a notícias científicas direcionadas ao profissional da saúde com os temas mais relevantes, informações sobre nutrição magistral e novas ferramentas para a prática clínica. É grátis!

Já sou Cadastrado Quero me cadastrar