Hoje em dia, as competências atribuídas ao homem e a mulher nos seus campos de trabalho, escolar e familiar têm provocado influência na qualidade de vida, principalmente pela falta de horários estabelecidos para as refeições e tempo disponível para a prática de exercícios físicos. Ao mesmo tempo, é observada uma mudança drástica nos hábitos alimentares da população, com o aumento significativo do consumo de produtos industrializados e baixo teor de fibras alimentares. Esta mudança tem promovido o aumento da incidência das “doenças de civilização”, sendo a constipação intestinal uma delas. A constipação intestinal faz parte das doenças funcionais que acometem o intestino, sendo considerada uma das queixas mais frequentes nos atendimentos clínicos, acometendo cerca de 20% da população mundial. É mais comum entre mulheres e idosos. Segundo Schmidt e Santos (2014), as prevalências da constipação variam entre 2,6% e 30,7%, o que depende dos hábitos de vida. Diante disso, o…

Faça o login para ver o restante deste conteúdo!

Ou cadastre-se para ter acesso a este conteúdo e a notícias científicas direcionadas ao profissional da saúde com os temas mais relevantes, informações sobre nutrição magistral e novas ferramentas para a prática clínica. É grátis!

Já sou Cadastrado Quero me cadastrar