A memória e outros processos cognitivos como concentração, atenção e aprendizado diminuem, gradualmente, com o passar dos anos. Contudo recentes pesquisas feitas nas últimas décadas evidenciam que pessoas com altos níveis de estresse e que seguem hábitos de vida inadequados ficam vulneráveis a essa alteração cerebral. Uma pesquisa realizada pela Drug and Alcohol Dependence (2012) evidenciou que a memória é diretamente afetada em pessoas fumantes, mas que a cessação total do tabagismo pode recuperá-la integralmente com o tempo. Participaram do estudo 27 fumantes, 18 ex-fumantes e 24 pessoas que nunca haviam fumado, realizando tarefas de recordatórios. Os resultados mostraram que 81% das pessoas não tabagistas tiveram um ótimo desempenho no teste de memória, em comparação com 59% dos fumantes. Esse resultado comprova que o fumo pode prejudicar diretamente a memória, a médio e longo prazo, por conta do desequilíbrio cerebral desencadeado pelas toxinas do cigarro. Outro fator associado à queda…

Faça o login para ver o restante deste conteúdo!

Ou cadastre-se para ter acesso a este conteúdo e a notícias científicas direcionadas ao profissional da saúde com os temas mais relevantes, informações sobre nutrição magistral e novas ferramentas para a prática clínica. É grátis!

Já sou Cadastrado Quero me cadastrar