A saúde do coração está diretamente associada ao controle do colesterol. Em todo o mundo, as doenças crônicas não transmissíveis, incluindo doença cardiovascular, são responsáveis por 63% das causas de mortalidade. Um terço das doenças isquêmicas do coração é secundário à hipercolesterolemia, estimando que o desequilíbrio nos níveis de colesterol seja considerado fator agravante de aproximadamente 2,6 milhões de eventos cardíacos em todo o mundo. De acordo com dados epidemiológicos, existe uma projeção de que, entre o ano de 2010 e 2020, ocorra um crescimento de 15% – em torno de 44 milhões de mortes associadas a doenças crônicas em geral. No Brasil, essa mortalidade ultrapassa a porcentagem mundial, expressa-se em quase 75%.

 

A dislipidemia é uma doença metabólica que provoca aumento progressivo dos níveis plasmáticos de colesterol de baixa intensidade (LDL), redução do colesterol de alta densidade (HDL) e aumento dos triglicerídeos, podendo ser classificada em primária ou secundária. Tais alterações lipídicas elevam o risco para doenças cardiovasculares, que, segundo o National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES), já comprometem 12,9% da população adulta dos Estados Unidos e aproximadamente 15% em determinadas regiões do Brasil. Em parâmetros bioquímicos, podemos destacar que existe uma forte relação entre o tipo e o tamanho da molécula de LDL no sangue e a potencialização de agravos cardiovasculares. A oxidação do LDL é o principal mecanismo associado nesse caso, visto que ocorre pelas mesmas reações produtoras de radicais livres, exercendo efeito sobre o sistema imunológico. O LDL oxidado é considerado citotóxico e provoca disfunção endotelial vascular, alterando os mecanismos vasodilatadores e anticoagulantes, o que agrava o risco para infartos agudos e outros eventos cardíacos.

 

Um fator associado ao aumento do número de infartos, segundo o Sistema Único de Saúde, é o clima. O inverno é a estação do ano em que ocorrem quedas bruscas de temperaturas, abaixo de 14°C, que, segundo especialista do Incor – Instituto do Coração, comprometem o fluxo sanguíneo para o músculo do coração devido ao bloqueio ocasionado pela vasoconstrição. Dessa forma, a redução do calibre de veias e artérias compromete a circulação sanguínea, o que provoca baixo aporte de oxigênio ao músculo cardíaco, levando, consequentemente, ao risco de infarto.

 

Hipercolesterolemia x Modulação nutricional

 

A modificação dietética, seja por meio do equilíbrio alimentar ou pela complementação magistral, é essencial para modular as dislipidemias e prevenir morbidades cardiovasculares associadas. A ciência recente tem demonstrado que o tratamento de hipercolesterolemia pode ser associado à inclusão de alimentos e de fórmulas magistrais compostas por flavonoides e antocianinas, que são fitoquímicos com elevada capacidade antioxidante. Dentre eles, destacam-se as frutas cítricas, as frutas vermelhas, as sementes e os vegetais verde-escuros. O suco de bergamota é o destaque principal (variedade de Citrus aurantium), por apresentar concentração expressiva de neoerocitrina, naringina e neo-hesperidina, compostos potencialmente antioxidantes da família dos flavonoides. Alguns estudos realizados com esses 3 componentes presentes no extrato de bergamota demonstram sua eficácia na redução do colesterol LDL e dos triglicerídeos, além de potencializar a capacidade em aumentar os níveis do colesterol HDL. Diante disso, a Galena® traz para o mercado Bergavit®, que é o ativo obtido pela extração dos flavonoides do suco de bergamota, com eficácia comprovada no controle das dislipidemias.

 

Por conta disso, Bergavit® age por meio da eliminação de radicais livres envolvidos no processo de aterosclerose a partir da oxidação do LDL devido à atividade direta dos flavonoides (naringina, neoeriocitrina e neo-hesperidina) nesse mecanismo. Esses flavonoides presentes, também, apresentam a capacidade de atuar diretamente no parênquima hepático, influenciando o metabolismo de lipídeos pelo fígado. Além desta ação antioxidante, Bergavit® pode contribuir com a modulação da síntese e a distribuição do colesterol para os tecidos, assim, reduzindo seu acúmulo no sangue e favorecendo a utilização como fonte energética. Tais mecanismos são únicos e exclusivos do extrato. Conheça-os pela figura 1:

Figura 1 – Resumo dos efeitos de Bergavit®.

Um estudo avaliou a eficácia de Bergavit® na modulação do colestetol, em 80 voluntários com idades entre 42 e 68 anos, apresentando hipercolesterolemia e utilizando 550mg do ativo no tratamento, uma vez ao dia. Os resultados mostraram uma redução de mais de 67% do LDL em forma menor e oxidada, e 25% de marcador subclícico da aterosclerose. Veja no gráfico do estudo:

Gráfico 1 – Resultados do estudo com Bergavit®.

Assim, Bergavit® tem ação principal na normalização dos níveis plasmáticos de lipídeos, principalmente, na redução do colesterol total, na prevenção da oxidação de LDL e no aumento do HDL, o que o classifica como um ativo protetor contra marcadores de risco cardiovascular. Além disso, é capaz de inibir a atividade de radicais livres e atuar como coadjuvante no tratamento de síndrome metabólica. A dosagem usual do é de 550 a 600mg por dia. Sua prescrição deve ser direcionada para farmácia de manipulação, por profissional capacitado, avaliando a condição nutricional específica de cada paciente.

REFERÊNCIAS

BRASIL. Sociedade Brasileira de Cardiologia. Atualização da diretriz brasileira de dislipidemias e prevenção da aterosclerose – 2017. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/abc/v109n2s1/0066-782X-abc-109-02-s1-0001.pdf>. Acesso em: 25 jun. 2018.

GATTUSO, G. et al. Flavonoid Glycosides in Bergamot Juice (Citrus bergamia Risso). Journal of Agriculture and Food Chemistry, v. 54, n. 11, p. 3929–3935, 2006.

MACHADO, H. et al. Flavonóides e seu potencial terapêutico. Boletim do Centro de Biologia da Reprodução, Juiz de Fora, v. 27, n. 1/2, p. 33-39, 2008.

TH, P.P., et al. Bergamot Reduces Plasma Lipids, Atherogenic Small Dense LDL, and Subclinical Atherosclerosis in Subjects with Moderate Hypercholesterolemia: A 6 Months Prospective Study. Front. Pharmacol., v. 6, n. 299, 2016.

OLIVEIRA, L. et al. Prevalência de dislipidemias e fatores de risco associados. J Health Biol Sci., v. 5, n. 4, p. 320-325, 2017.

 

Posologia: Administrar uma dose, 30 minutos após almoço e jantar.

Comentário Galena: Bergavit® e NeOpuntia® em combinação auxiliam no controle dos níveis graxos sanguíneos e consequentemente, na redução dos riscos cardiovasculares, pois Bergavit ® reduz o nível de colesterol e NeOpuntia® reduz a absorção de lípideos.

 

 

 

Posologia: Administrar uma dose, 2 vezes ao dia.

Comentário Galena:  Bergavit® é um ativo natural rico em flavonóides extraídos do suco de bergamota que além de sua ação antioxidante, atua modulando a síntese e distribuição do colesterol para os tecidos, reduzindo o acúmulo de triglicerídeos e favorecendo a utilização de LDL no metabolismo energético.

(32)