A baixa imunidade é uma condição clínica que possui estreita relação com o estresse e outras condições associadas ao meio ambiente e aos hábitos de vida, tais como exposição à poluentes e componentes alergênicos, e consumo alimentar inadequado. Particularmente, nas últimas décadas, tem-se observado aumento significativo de pessoas com doenças alérgicas, principalmente na população pediátrica. As alergias alimentares (AA) tornaram-se um grande problema de saúde no mundo todo e estão associadas a um impacto negativo na qualidade de vida. A imunidade debilitada, seja por má nutrição, ou por comprometimento associado à fase da vida (comum em crianças e idosos) deve ser corrigida com estratégias nutricionais adequadas, no intuito de aumentar as respostas imunológicas frente a diversos agentes pró-inflamatórios e alergênicos.

A alergia alimentar é definida como uma resposta imunológica adversa à alimentos, que afeta em torno de 6% das crianças e 4% dos adultos. As reações alérgicas induzidas pelo alimento são responsáveis por uma variedade de sintomas que envolvem a pele, o trato gastrointestinal e o respiratório, podendo ser mediada pela imunoglobulina E (IgE) ou não. Em indivíduos com predisposição, a exposição à componentes alergênicos induz a formação de complexos entre antígenos e IgE, ligados a receptores específicos na superfície de células imunológicas, como mastócitos e basófilos. Isso promove a degranulação celular e liberação de histamina, levando a uma nova síntese de mediadores inflamatórios. Todo o processo imunológico da AA começa pelo contato do alergênico com o intestino, na qual produz uma resposta inflamatória na mucosa gastrointestinal. Essa mucosa apresenta uma barreira física, constituída por muco, junções entre as células epiteliais e enzimas, e uma barreira imunológica, constituída pela secreção da imunoglobulina IgA. Após atravessarem essas barreiras, os alergênicos ativam toda a reposta imunológica e inflamatória, que pode afetar diversos tecidos-alvo, dependendo da gravidade da hipersensibilidade. As principais abordagens terapêuticas para o tratamento da alergia relacionam a inibição e controle dos mediadores dessas respostas inflamatórias.

Outros fatores relacionados ao desequilíbrio da imunidade que merecem destaque são as situações do cotidiano que demandam alta atividade do metabolismo, como estresse, exercício intenso, vulnerabilidade por infecções e mobilização do sistema imune, com influência direta na síntese dos nucleotídeos. Nesse caso, a alimentação associada à prescrição de fórmulas manipuladas apresenta forte influência na modulação imunológica e antialérgica.

Diante de toda essa abordagem clínica, a Galena traz para o mercado Nucleotides, um ativo padronizado em Nucleotídeos, produzido a partir do processo de fermentação da levedura Saccharomyces cerevisiae, capaz de fortalecer a imunidade quando debilitada e promover proteção e melhora da integridade da barreira intestinal, contra bactérias e toxinas, em busca de prevenir o desenvolvimento de processos infecciosos. Atua principalmente na amplificação da resposta imune e na manutenção da saúde intestinal, por conta de a renovação celular ser mais acelerada nesses sistemas.

Já na busca por alternativas naturais que possuam eficácia no cuidado e prevenção de doenças alérgicas, a Galena em parceria com a Bionap, traz o Pantescal®, um blend de 4 extratos vegetais (Botões de alcaparra, Raiz de Ginseng, Folhas de Groselha Negra, Folhas da Oliveira) com propriedades antialérgicas e anti-inflamatórias comprovadas e que atuam sinergicamente prevenindo e modulando a reposta alérgica, principalmente aquelas provocadas por alérgenos alimentares e ambientais. Seu mecanismo de ação se dá pela estabilização de mastócitos e basófilos, reduzindo a liberação de histamina, a fim de controlar a reação alérgica sistêmica.

REFERÊNCIAS

FERREIRA, J; PINTO, F. Alergia alimentar: definições, epidemiologia e imunopatogênese. Rev Bras Nutr Clin, v. 27, n. 3, p. 193-8, 2012.

PASCHOAL, V; NAVES, A; FONSECA, A. Nutrição Clínica Funcional: dos princípios à Prática Clínica. São Paulo: Valeria Paschoal Editora Ltda, 2007.

SABRA, A. Manual de Alergia Alimentar. 3 ed. Rio de Janeiro: Rubio, 2015.

TINÔCO, A; ROSA, C. Saúde do Idoso: Epidemiologia, aspectos nutricionais e processos do envelhecimento. Rio de Janeiro: Rubio, 2015.

Posologia: Administrar 1 dose ao dia.
Comentário: Nucleotides® contém uma alta concentração padronizada de nucleotídeos que fortalecem a imunidade principalmente quando debilitada, promove proteção e melhora da integridade da barreira intestinal contra bactérias e penetração de toxinas, melhorando a resposta contra infecções, além disso, em combinação com o Pantescal® reduz a resposta inflamatória exacerbada no processo alérgico.

Posologia: Administrar 1 dose ao dia.
Comentário: Nucleotides® contém uma alta concentração padronizada de nucleotídeos que fortalecem a imunidade principalmente quando suprimida, em combinação com o Pantescal® reduz a resposta inflamatória exacerbada no processo alérgico, assim modulando a liberação de IgE. A associação entre a Vitamina C e Dimpless® promove a diminuição do estresse oxidativo, o qual esta muito ativo no processo inflamatório.

(14)